Como as práticas ESG da Qualy se conectam com a compensação ambiental

Leia em 5 min

Conectadas com práticas ESG, empresas recorrem a parcerias cada vez mais estratégicas. Confira como a Qualy e a eureciclo estão contribuindo com a cadeia de reciclagem no Brasil!

Com a iniciativa de compensação ambiental, que garante a reciclagem de material e massa equivalente das embalagens comercializadas, empresas como a Qualy estão transformando a cadeia de reciclagem em todo o Brasil.

“Mudando o mundo, um pote por vez!” Esse é o lema da Qualy, para que mais pessoas se juntem a esse movimento e contribuam também com o aumento das taxas de reciclagem.

Nesta parceria entre Qualy e a eureciclo, mais de 8 mil toneladas serão compensadas.

Você sabia que 8 mil toneladas poderiam ser representadas por 7 Cristos Redentores?

Continue lendo para saber os detalhes dessa ação de impacto positivo da Qualy!

Quais práticas ESG da Qualy reforçam um comprometimento socioambiental?

A reciclagem possui conexão direta com as pautas de sustentabilidade e prática ESG das empresas.

Reciclar significa menos impacto ambiental, menos resíduos em locais impróprios e mais renda para catadores e cooperativas.

Em uma entrevista com a gerente executiva da Qualy, Aline Alexandrino, concedida à Época Negócios, fica evidente essa relação, especialmente para as companhias de capital aberto, que são diretamente influenciadas, atualmente, pelo termo ESG.

Em resumo, ESG trata dos aspectos ambientais, sociais e de governança corporativa apresentados pelas empresas. No cenário de investimentos, essas métricas possuem um valor cada vez maior, justamente, para avaliarem o compromisso das empresas com o planeta.

A partir da iniciativa de compensação ambiental, a Qualy reforça o comprometimento socioambiental e se torna a 1ª marca de margarina a investir na reciclagem de 100% de suas embalagens.

Assim, a empresa, que completou 30 anos em julho deste ano, reafirma o seu propósito com as práticas ESG e viabiliza um sonho: de comprovar que além de 100% das embalagens serem recicláveis, elas serão de fato encaminhadas à reciclagem.

Dessa forma, é que a solução da compensação ambiental está conectada à estratégia da BRF, detentora da marca Qualy, de avançar em compromissos ligados à agenda de práticas ESG e sustentabilidade. 

Atualmente, o grupo BRF já possui mais de 85% das embalagens reutilizáveis, reutilizáveis ou biodegradáveis e pretende investir ainda mais para ampliar essa frente. 

A meta até 2025 é de ter 100% das embalagens recicláveis, reutilizáveis ou biodegradáveis.

Em 2020, a empresa investiu R$150 milhões de reais, e em 2021, o valor vai ultrapassar os R$900 milhões.

Quer saber como esses investimentos beneficiarão a cadeia de reciclagem de um material em especial, o polipropileno, ou PP? Então, continue aqui com a gente!

Investimento vai fortalecer a cadeia de reciclagem do polipropileno

A cadeia da reciclagem no Brasil atualmente, possui um cenário complexo, devido a alguns aspectos, como a logística, informalidade de cooperativas e especificidade dos materiais.

Diferente de outros materiais, como papelão e alumínio, que tem a sua coleta bastante ampliada, o PP ou polipropileno, necessita de incentivos e investimento direto para a estruturação de sua cadeia.

O polipropileno é um polímero termoplástico produzido a partir da polimerização do gás propileno ou propeno. É um material com alta resistência química e que no caso dos potes Qualy, protege o alimento para maior conservação.

Mesmo com propriedades positivas e passível de ser reciclado, o PP ainda não é encaminhado aos recicladores finais em todas as cooperativas e operadores que recebem o material.

Com essa parceria Qualy e eureciclo, o objetivo é ampliar o número de centrais de triagem que trabalharão com esse material, viabilizando economicamente a cadeia de reciclagem do polipropileno.

Dessa forma, o investimento da Qualy estimulará a formalização e estruturação de cooperativas e operadores parceiros homologados pela eureciclo.

A iniciativa além de retirar do meio ambiente embalagens que seriam descartadas inadequadamente, gera renda para diversas famílias, que têm como sua base a coleta e triagem dos materiais recicláveis, como o próprio PP.

Já imaginou quantas vidas e famílias podem ser impactadas positivamente com o investimento das empresas em uma prática ESG e descarte correto por parte dos consumidores?

Descubra outros impactos positivos a seguir.

Impacto positivo nas embalagens, na cadeia e no consumidor

Além do aspecto social e do acréscimo de renda através do investimento na cadeia de reciclagem, a iniciativa de compensação ambiental é uma grande aliada da conscientização ambiental.

Como falamos acima, as práticas ESG envolvem 3 aspectos: ambiental, social e de governança corporativa. Dessa forma, a mensuração e a transparência dos resultados são fundamentais para acompanhar os avanços nessas três frentes.

Na parceria para a compensação dos potes de margarina Qualy, um outro aspecto interessante é o engajamento dos consumidores, que serão parte fundamental do sucesso da estruturação da cadeia de PP.

O envolvimento dos consumidores é essencial porque somente com o descarte correto dos potes de polipropileno será possível encaminhar as embalagens à reciclagem.

Com o intuito de divulgar e conscientizar as diversas famílias que consomem o produto, a Qualy irá utilizar o selo eureciclo nas embalagens, comunicando o seu investimento na cadeia de reciclagem.

Sabia que mais de 50 mil unidades de Qualy são vendidas por hora?

Isso significa que cerca de 50 mil pessoas e famílias reconhecerão o sorriso, como chamamos por aqui, e compreenderão a importância do descarte correto no já no ato da compra.

E cada pote conta!

A meta da parceria entre Qualy e eureciclo é compensar 8 mil toneladas de polipropileno, baseado na estimativa de volume comercializado, o que equivale a 7 Cristos Redentores, já que cada Cristo Redentor tem cerca de 1.145 toneladas, segundo o governo do Rio de Janeiro.

Iniciativas como a compensação ambiental auxiliam a materializar práticas ESG e reforçam o papel dos consumidores e sociedade em promover impacto positivo.

Como a Aline Alexandrino, gerente executiva da Qualy, compartilhou na entrevista: “Então, além do aporte financeiro, é importante também todo o trabalho de divulgação e conscientização que Qualy está fazendo e esse não é o primeiro projeto nesse sentido. Por isso, acho que agora conseguimos materializar a nossa intenção através dessa parceria com a eureciclo.”

É válido lembrar que conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos, as empresas devem comprovar a reciclagem de ao menos 22% das embalagens colocadas no mercado, por isso, é que acreditamos em quanto essa parceria impactará positivamente o mercado e a cadeia de reciclagem como um todo.

Os certificados de reciclagem emitidos na eureciclo, garantirão o controle do que é coletado nas centrais de triagem e do que será encaminhado aos recicladores finais, atestando a segurança e transparência da prática ESG.

O mecanismo assegurado pelas notas fiscais armazenadas em tecnologia blockchain, é ainda auditado pela Ernst & Young, demonstrando a quantidade de polipropileno retirada do meio ambiente.

Essa integração entre todos os elos da cadeia de reciclagem é essencial para a estruturação de uma iniciativa que espalhará o bem!

Como cita Aline Alexandrino, o meio ambiente está passando por transformações intensas. Temas contemporâneos, como a reciclagem e a compensação ambiental, contribuem com o papel de cada um em cuidar do planeta!

Gostaria de construir um novo capítulo e um futuro melhor? 

Então, separe corretamente os potes Qualy e demais itens recicláveis na sua casa e onde estiver, sabendo que o seu cuidado importa e muito para uma reciclagem mais justa!

Confira um bônus especial para aprofundar a leitura. Clique aqui e saiba mais sobre a parceria Qualy e eureciclo, que chegou para espalhar o bem!

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *