Entenda a tecnologia por trás dos certificados de reciclagem

Leia em 4 min

Os certificados de reciclagem são emitidos através de um software de inteligência artificial, que analisa notas fiscais de cooperativas e empresas parceiras. Entenda como é feito esse processo e quais ferramentas são usadas.

Desde 2010, com a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), as empresas também são responsáveis pelo que acontece com as embalagens que saem de suas prateleiras. Elas devem oferecer opções de reaproveitamento ou formas de destinação correta desses materiais. 

Em São Paulo, por exemplo, a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) só renova a Licença Ambiental de empresas que realizam a logística reversa, ou seja, o retorno dos resíduos à cadeia produtiva. 

A logística reversa é uma grande aliada da economia circular, já que, ao retornar um resíduo para a cadeia produtiva, ele se torna matéria-prima para novos produtos. 

A eureciclo surgiu em 2014 com o intuito de aumentar as taxas de reciclagem no país e contribuir para esse cenário. 

Para as empresas, chegou como uma ferramenta para o cumprimento da PNRS, já que a certificação eureciclo garante a compensação ambiental de, no mínimo, 22% das embalagens colocadas no mercado, como pede a PNRS. 

Essa compensação pode chegar a 200% das embalagens, ou seja, a empresa certificada pode ajudar a tirar duas embalagens do meio ambiente a cada embalagem fabricada.  

A compensação ambiental feita pela eureciclo funciona por meio dos certificados de reciclagem. 

Como funcionam os certificados de reciclagem?

Os certificados são emitidos através de uma plataforma que rastreia e armazena dados da cadeia de reciclagem. Essa plataforma utiliza notas fiscais das cooperativas e empresas parceiras como comprovantes da venda dos materiais para recicladores. 

Só em 2020, foram recebidas mais de 300 mil notas fiscais. 

Desta forma, as cooperativas acabam recebendo não só pela triagem e comercialização do material reciclável, mas também pela venda dos certificados de reciclagem.

Os certificados de reciclagem da eureciclo já impactaram positivamente cerca de 5300 trabalhadores, que foram remunerados com mais de 11 milhões de reais desde 2016. 

O cálculo de quantos certificados a eureciclo precisará emitir é feito na etapa da contratação da empresa que adere à solução, quando são descritos o volume e o tipo de material das embalagens e a porcentagem que irá compensar. 

Entenda o passo a passo da certificação da logística reversa

Primeiro, as cooperativas e empresas parceiras que recebem embalagens pós-consumo, separam esses resíduos por tipo (papel, plástico, vidro e metal). Depois, esse material é vendido para empresas recicladoras, gerando notas fiscais.

É importante salientar que as cooperativas e empresas parceiras passam por um processo de homologação com visitas presenciais. Esse processo assegura que as notas fiscais emitidas condizem com a capacidade real de processamento de cada cooperativa. 

As notas fiscais são o documento oficial de comprovação no Estado de São Paulo e o elemento-chave para a certificação. 

Para que não haja inconsistências nessas notas, elas passam por um processo minucioso de averiguação. A primeira etapa é uma checagem na Receita Federal e análises estatísticas feitas por um software de Machine Learning. 

Machine Learning, em português significa “aprendizado de máquina” ou “aprendizado automático” e é uma inteligência artificial na qual os sistemas conseguem “aprender” com os dados registrados, identificar padrões e tomar decisões de forma automatizada.

Essa tecnologia permite que a eureciclo aprenda os padrões das notas e dos operadores e seja alertada quando algum dado é inconsistente ou fraudulento. 

Quanto mais dados a eureciclo coleta e armazena, mais o sistema se torna inteligente e consegue rastrear a cadeia de reciclagem de forma mais completa e segura. 

Os dados também passam por uma auditoria externa feita pela Ernst & Young, uma das maiores empresas de auditoria do mundo.  

As notas fiscais, portanto, funcionam como créditos de reciclagem da mesma forma que atuam os créditos de carbono, que, no caso, compensam as emissões de CO2. 

Confira como o blockchain opera na cadeia de reciclagem

Depois do processo de análise das notas fiscais, elas são quantificadas por ano, região e tipo de material, em cadeias de blockchain, para serem emitidos os certificados de reciclagem.

Blockchain ou “cadeia de blocos” (em livre tradução) é mais uma tecnologia, que, no caso, impossibilita a duplicidade de notas fiscais por meio da rastreabilidade. Funciona como um livro-caixa, no qual as informações não podem mais ser alteradas.

Essas informações ficam disponíveis para os órgãos fiscalizadores.  

Os certificados de reciclagem que são então emitidos contém informações do gerador, tipo do resíduo, volume, informações do transportador e da unidade de destinação final do resíduo, e são emitidos de forma individual para cada empresa. 

O sistema da eureciclo também conta com Cloud Computing, ou seja, “computação na nuvem” para que as informações sejam, além de criptografadas, também armazenadas de forma segura. Essa tecnologia diminui o risco de intrusões, roubos ou ataques cibernéticos.

Conheça mais sobre a tecnologia com o Relatório de Desempenho da eureciclo

Todos os dados armazenados no sistema são, posteriormente, usados para gerar relatórios anuais de desempenho. Neles, estão os principais resultados ambientais, sociais e econômicos do ano. 

Esses relatórios são de livre acesso e estão disponíveis em nosso site. Acesse aqui o relatório de 2020. 

A tecnologia da eureciclo permitiu o rastreamento de 7,5 milhões de toneladas de resíduos sólidos desde o início das operações e a compensação de mais de 106 mil toneladas de embalagens descartadas por consumidores, só em 2020. 

Se a missão da eureciclo é construir um mundo mais sustentável valorizando a reciclagem, os certificados de reciclagem são um catalisador desse processo e a tecnologia, uma grande aliada. 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *