Embalagens prensadas em uma cooperativa de reciclagem. A reciclagem é um dos meios que o Sistema de Logística Reversa se utiliza para cumprir com a lei e mitigar impactos ambientais.

Sistema de Logística Reversa: tudo que você precisa saber

Leia em 7 min

Sistema de logística reversa é uma formação estruturada de empresas sujeitas à Política Nacional de Resíduos Sólidos, organizada por uma governança validada pelos órgãos reguladores ambientais com o objetivo de cumprir com a destinação ambientalmente adequada dos resíduos.

As empresas que fabricam ou comercializam algum tipo de resíduo devem cumprir com a logística reversa.

Em outras palavras, cumprir com a logística reversa significa garantir que os resíduos sejam gerenciados após o fim do ciclo de vida dos produtos.

Desse modo, a logística reversa é ainda uma solução para evitar a poluição, em suas diversas formas. 

Prolongar o ciclo de vida dos produtos é cuidar do planeta! Saiba do que trata e como funciona a logística reversa a seguir.

O que trata a logística reversa

Primeiramente, é necessário entender que a logística reversa é regulamentada pela legislação ambiental!

O mecanismo é contemplado pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei n° 12.305/10, que trata justamente do gerenciamento dos resíduos no país.

De acordo com a lei, um dos instrumentos eficazes é a logística reversa, a fim de garantir que os resíduos sejam restituídos ao ciclo produtivo.

Portanto, as empresas devem receber novamente as embalagens dos produtos, mesmo os produtos já estando em circulação, e contribuírem com a destinação correta.

Além disso, a PNRS cita que a logística reversa é responsabilidade compartilhada de fabricantes,comerciantes, importadores, distribuidores, cidadãos e titulares de serviços de limpeza e manejo dos resíduos sólidos urbanos.

Assim, todos são responsáveis por um maior cuidado com o planeta, já que resíduos dispostos de forma inadequada podem contaminar solos, rios e até afetar a saúde humana.

Quer saber mais sobre como a sua empresa pode estar regular perante a PNRS? Baixe agora o Guia Legal da Logística Reversa de Embalagens AQUI.

Continue a leitura para saber quais são os tipos de logística reversa!

A logística reversa trata da destinação ambientalmente correta dos resíduos. Na foto, se observa o trabalho de uma cooperativa de reciclagem, com os resíduos pós-consumo já prensados.
Banco de Imagens eureciclo

Os tipos de logística reversa

Segundo a definição da PNRS, logística reversa é o “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada”.

E portanto, a logística reversa pode ser aplicada em 3 diferentes circunstâncias. Confira:

Logística Reversa Pós-Consumo

A logística reversa pós-consumo é realizada mediante o retorno de produtos e/ou embalagens comercializados pelas empresas ao ciclo produtivo.

Uma das formas de resgatar essas embalagens é através de Pontos de Entrega Voluntária, por exemplo. Desse modo, os consumidores têm a possibilidade de descartar os resíduos pós-consumo em locais mais próximos.

Posteriormente, as próprias empresas podem resgatar as embalagens dos produtos, porém devido às dimensões do país e o deslocamento necessário, isso nem sempre é viável.

Outra alternativa seria a compensação ambiental de embalagens. Saiba o porquê esse modelo é adotado em diversos países:

Logística Reversa Pós-Venda

Você já devolveu algum produto que não atendeu sua expectativa ou que veio com algum defeito de fabricação?

Pois é, a empresa para cumprir com a logística reversa neste caso deve recolher o produto, para reutilizar ou reaproveitar peças desse item, ou até encaminhá-lo à reciclagem.

A partir do crescimento do e-commerce, esse processo está cada vez mais comum!

Reuso

Por fim, o reuso diz respeito à revenda direta dos resíduos, tais como móveis, livros, eletroeletrônicos. Os materiais são comercializados em leilões.

Assim, o que seria um resíduo descartado incorretamente se torna algo útil para outros compradores.

Quais são os sistemas de logística reversa?

Agora que vimos os tipos de logística reversa, saiba quais são Sistemas de Logística reversa que existem atualmente no Brasil, conforme o SINIR (Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos):

Agrotóxicos, seus resíduos e embalagens

Neste sistema, o agricultor deve realizar a destinação correta de embalagens vazias e de sobras de agrotóxicos. Além disso, este deve cumprir com as recomendações técnicas apresentadas na bula ou folheto de orientação, adquiridos na compra do produto.

Já os estabelecimentos comerciais também devem ter instalações adequadas para receberem as embalagens após o uso. Finalmente, após o devido manuseio e processo de reciclagem, as embalagens podem se tornar resinas para retornarem ao ciclo produtivo.

Bateria de chumbo ácido

No caso das baterias de chumbo ácido, o material deve ser descartado no mesmo local em que for realizada a troca ou reposição.

O chumbo e as soluções ácidas causam danos ambientais, caso descartados incorretamente, portanto, é fundamental que as baterias sejam entregues nos pontos de recolhimento, como é o caso de oficinas que realizam a substituição.

Eletroeletrônicos

Atualmente, alguns supermercados, feiras e estabelecimentos comerciais estão atuando em prol do recolhimento de eletroeletrônicos.

Em algumas cidades, a própria prefeitura ou empresas locais prestam esse serviço à comunidade, dependendo do volume que será recolhido.

Frequentemente, os eletroeletrônicos são itens valiosos para a indústria nacional e retornam ao ciclo de produção como novas matérias-primas.

Embalagens de aço

Essas embalagens, que comumente estão presentes em alimentos, latas de molhos de tomate, algumas bebidas, ração úmida para gatos e cachorros entre outros também podem ser destinadas às cooperativas de reciclagem.

Ademais, alguns pontos de entrega voluntária também recebem esse tipo de material, que posteriormente, será encaminhado para as usinas siderúrgicas.

Embalagens em geral

Imagem de uma embalagem em geral, com o selo eureciclo, que comunica o investimento da empresa na logística reversa e na reciclagem.
Banco de Imagens eureciclo

Em relação às embalagens em geral, compostas de papel e papelão, plástico, metal e vidro, estas estão sujeitas ao Sistema de Logística Reversa após a assinatura de um Acordo Setorial em 2015.

A meta estipulada para as empresas é cumprir com a logística reversa de ao menos 22% das embalagens colocadas no mercado. Contudo, as metas são progressivas e o objetivo a nível nacional é estimular a reciclagem dos diversos tipos de materiais.

Aqui na eureciclo, por exemplo, sentimos a necessidade de ir além dos 22% e criamos os selos de 100% e 200%, para as empresas neutralizarem seu impacto e contribuírem com o impacto positivo na cadeia de reciclagem.

Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens

As embalagens dos óleos lubrificantes se tornam também matéria-prima para a própria indústria de embalagens e também para outras indústrias.

Todavia, o descarte deve ser realizado em locais específicos da coleta deste material, como Pontos de Entrega Voluntária e oficinas. Do mesmo modo, os comerciantes e distribuidores também devem cumprir com a logística reversa das embalagens.

Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio, mercúrio e de luz mista

Bem como os óleos lubrificantes, as lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista também não devem ser descartadas no lixo comum.

Há pontos específicos para o descarte deste material, como em supermercados e estabelecimentos comerciais. 

Medicamentos

O decreto nº 10.388, de 5 de junho de 2020 trouxe avanços para Logística Reversa de Medicamentos, envolvendo os medicamentos domiciliares vencidos ou em desuso, bem como suas embalagens. 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, os comerciantes devem incluir pontos de coleta para que o descarte correto por parte dos consumidores seja facilitado.

Pilhas e baterias

As pilhas e baterias também devem ser descartadas corretamente em pontos de entrega primários, como papelarias e lojas de materiais de construção de bairros.

Além disso, estabelecimentos comerciais de médio e grande porte podem disponibilizar gratuitamente os coletores para receber as pilhas e baterias, garantindo a destinação ambientalmente correta.

Vale lembrar que grande volume de pilhas e baterias, caso dispostas inadequadamente no meio ambiente, contaminam o solo e água com materiais pesados.

Pneus inservíveis

Para este fim, o sistema de logística reversa atua por meio de parcerias, com as prefeituras, por exemplo, para disponibilizar áreas de armazenamento temporário para os pneus inservíveis.

Sabia que os pneus e outros materiais de borracha levam cerca de 600 anos para se decomporem?

O benefício da logística reversa se faz mais uma vez presente, inclusive, porque os pneus, assim como outros objetos, podem acumular água e se tornarem focos de mosquitos transmissores de doenças, como a dengue.

Latas de alumínios para bebidas

A cadeia de reciclagem do alumínio é uma das mais desenvolvidas no Brasil e a taxa de reciclagem do material está em mais de 97% atualmente, comprovando que é possível cumprir com a logística reversa.
Banco de Imagens eureciclo

Conforme a Entidade Gestora do Sistema, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas), o país em 2020 teve um índice de reciclagem de 97,4%, demonstrando o quanto a cadeia de reciclagem do alumínio é desenvolvida no Brasil.

O descarte correto das latas de alumínio pode ser realizado por meio da coleta seletiva, em pontos de entrega voluntária (PEVs) e entrega diretamente à cooperativas de reciclagem

Como aderir a um Sistema de Logística Reversa?

Estar seguro perante a Política Nacional de Resíduos Sólidos é primordial, evitando penalidades e multas do não cumprimento à lei.

Dessa forma, aderir a um sistema de logística reversa significa que sua empresa está inclinada a comprovar as metas vigentes.

Anteriormente, citamos o exemplo das embalagens, de que as empresas precisam cumprir com a logística reversa do equivalente a 22% do que foi comercializado no ano base.

Ou seja, é necessário que haja uma segurança de que a empresa estará em conformidade com a lei.

Com o objetivo de representar as empresas, entidades gestoras são responsáveis por essa operação!

Conforme a definição, as entidades gestoras são “pessoas jurídicas, sem finalidade econômica, constituídas pelas empresas ou pelas associações de fabricantes e de importadores de produtos para a execução das ações relacionadas à estruturação, à implementação, à gestão e à operação do sistema de logística reversa”.

Por exemplo, quem representa grandes fabricantes de pneus novos é a Reciclanip no caso da logística reversa dos pneus inservíveis.

Entidades gestoras representam os interesses das empresas aderentes ao sistema, tal como é o caso também das embalagens, com o Instituto Rever, que criou o Sistema de logística reversa de embalagens em geral (Sistema).

Para aderir a um sistema de logística reversa, basta entrar em contato diretamente com as entidades gestoras ou com a associação que representa a sua empresa!

Uma outra possibilidade é aderir ao método de certificados de reciclagem por meio da compensação ambiental, para cumprimento das metas de logística reversa. 

Além disso, como vimos anteriormente, é possível promover impacto positivo para a cadeia de reciclagem, com a compensação de até 200% das embalagens comercializadas.

Cuidar do planeta e desenvolver a cadeia de reciclagem é fundamental! Vamos juntos?

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *