Importância da logística reversa pode ser traduzida na economia circular e na destinação ambientalmente adequada dos resíduos, tal como a reciclagem.

Qual a importância da logística reversa para o meio ambiente?

Leia em 4 min

A importância da logística reversa consiste em garantir uma destinação ambientalmente adequada dos resíduos. Assim, as empresas têm um papel decisivo em retornar esses resíduos para o ciclo produtivo. Entenda como funciona!

Você já deve ter ouvido que “na natureza nada se perde, tudo se transforma”, certo? 

Essa afirmação pode ter várias interpretações, mas traz uma boa visão do conceito de logística reversa (LR). 

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) define o processo como um instrumento econômico e social que viabiliza a coleta dos resíduos sólidos do setor empresarial. Mas afinal, o  que isso significa?

A definição é um pouco complexa, então vamos traduzir: como o próprio nome já sugere, trata-se de devolver à cadeia produtiva aqueles resíduos que já foram descartados, para que não acabem na natureza. 

Esquema explicativo de como funciona a logística reversa.
Para conferir mais informações. Baixe o Guia Legal da Logística Reversa de Embalagens AQUI!

Qual a relação entre logística reversa e sustentabilidade?

Ao incentivar ações de coleta dos resíduos, a logística reversa ajuda a dar um destino aos materiais como plástico, vidro, alumínio e papel, por exemplo. Essa ação colabora com a cadeia de reciclagem e para o meio ambiente, já que evita que os materiais – que podem levar mais de 100 anos para se decompor – acabem em aterros ou lixões. 

Uma boa prática de logística reversa de latas de alumínio, por exemplo, pode fazer com que o material seja reutilizado muitas vezes. Assim, dá para imaginar quantas latinhas podem virar insumos para novos produtos, dando um destino mais eficiente, não é?

Do mesmo modo que o alumínio serve de matéria-prima para a fabricação de itens novos, os outros materiais recicláveis também têm potencial de reciclagem (mesmo que menores). 

O plástico é um desses resíduos pós-consumo recicláveisque necessita de ações conjuntas e com urgência, já que, segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), até 2050 pode haver mais plástico do que peixes nos oceanos. 

Resíduos recicláveis dispostos de forma inadequada no meio ambiente.
Imagem: Pixabay

Legislação e responsabilidades

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), desde 2010, determina a responsabilidade legal das empresas pelas embalagens e resíduos sólidos que colocam no mercado . 

Além disso, a lei define que a logística reversa também deve ser cumprida poroutros atores, como produtores, fabricantes e comerciantes, conforme a política da responsabilidade compartilhada). 

De acordo com a legislação, os responsáveis precisam dar a destinação correta a pelo menos 22% das embalagens pós-consumo de materiais como plástico, alumínio, papel ou vidro, seja pela reciclagem dos próprios resíduos ou pela compensação ambiental, que garante a reciclagem de um material equivalente (ou seja, do mesmo material).

Saiba mais sobre os aspectos jurídicos da Logística Reversa com o vídeo a seguir:

A importância da logística reversa no aspecto da consciência ambiental

Junto com a exigência legal, há ainda o crescimento do debate sobre práticas de sustentabilidade. Um dos melhores exemplos é o conceito ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança), que está presente em diversas manchetes nacionais e internacionais.

Os pilares tratados nessa sigla trazem debates e ações que impactam, de alguma forma, todos nós: empresas, pessoas e governos, mas o peso para as corporações está mais evidente e tem ajudado na criação de projetos com o objetivo de incluir a sustentabilidade no dia a dia das companhias.

Olhando por outro ângulo, temos outro agente fundamental: o consumidor. De acordo com a “Pesquisa Akatu 2018 – Panorama do Consumo Consciente no Brasil; desafios, barreiras e motivações”, a expectativa dos consumidores é que as marcas escolhidas tenham compromisso com o meio ambiente.

O estudo mostra que a maioria dos entrevistados gostaria que as marcas fizessem mais do que prevê a legislação, e essa demanda consciente é mais um fator que contribui para a adoção de processos “verdes” nas empresas e nos produtos desenvolvidos.

Uma das formas de praticar um consumo mais consciente é utilizar ecobags, evitando o uso de sacolas plásticas de uso único.
Banco de imagens eureciclo

Como funciona a logística reversa para empresas?

As empresas têm mostrado interesse em diminuir o impacto que causam com as suas embalagens, percebendo a importância da logística reversa.

O melhor caminho para isso, como explicamos mais acima, é com a implementação de um sistema de logística reversa, que pode ser próprio (para recuperar suas embalagens) ou coletivo (como no caso da eureciclo, que oferece a compensação ambiental).

É importante entender que esse compromisso envolve mais de um setor, como sustentabilidade, marketing e até mesmo o comercial, que já recebe questionamentos sobre o assunto e pode responder positivamente no caso da companhia desenvolver a LR ou, ao menos, estar planejando. 

Afinal, já está claro que não basta apenas produzir e vender, é preciso se responsabilizar por todo o ciclo de vida do produto, até o descarte e reaproveitamento. 

Um dos motivos para falarmos bastante sobre esse tema por aqui é inspirar projetos. E para isso, nada melhor que um exemplo: algo que já costuma funcionar bem é a indústria de bebidas. 

Há alguns anos os fabricantes têm gerenciado, junto aos comerciantes, o retorno das garrafas de vidro usadas, chamadas de retornáveis. 

Compensação ambiental

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, um grande desafio é o de recuperar todas as embalagens.

Sendo assim, os pontos de entrega voluntária (PEVs) podem não ser o suficiente para o atendimento à meta da PNRS! 

Já imaginou como é complicado recuperar uma embalagem que foi vendida no sudeste e descartada no nordeste? Nesse contexto, outras alternativas são aliadas e a compensação ambiental é uma delas.

O processo retira do meio ambiente resíduos equivalentes. 

No caso de uma empresa que colocou no mercado uma quantia de toneladas de vidro, por exemplo, a reciclagem será feita para o mesmo tipo de material e na mesma região, segundo o percentual escolhido, que pode variar de 22% a 200% aqui na eureciclo. 

O sistema gera benefícios para a empresa, como dar escalabilidade (ou seja, ampliar resultados), simplificar a burocracia e solucionar efetivamente os problemas. 

Com tudo isso em mente, fica mais fácil entender por que a logística reversa é uma amiga (e das melhores) do meio ambiente, não é? 

Quer conhecer melhor as etapas para implementar a compensação ambiental? 

Acesse o artigo Passo a passo de como fazer compensação ambiental de embalagens e entre em contato com nossos especialistas AQUI para qualquer outra dúvida!

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *