10 insights para empresas aderirem a economia circular, com Ailton Krenak

Leia em 7 min

Mais do que conhecer sobre o que é economia circular, precisamos compreender a relação desse conceito com a própria natureza. Acesse para conferir alguns aprendizados de um dos maiores ambientalistas do Brasil, Ailton Krenak.

Com uma boa dose de filosofia e poesia, Ailton Krenak, líder indígena e escritor, foi um dos palestrantes no primeiro dia do II Fórum Internacional eureciclo, que aconteceu dia 22 de junho.

Moderadora: Tania Sassioto – Projetos & Parcerias na eureciclo
Convidados: Ailton Krenak e Antonio Donato Nobre

O ambientalista no II Fórum Internacional eureciclo partilhou a sua perspectiva sobre o tema “ESG: Um caminho para a regeneração?” para os quase 600 participantes que acompanharam o evento, incluindo um olhar centrado nos saberes da natureza, na ancestralidade e que segundo ele, podem trazer diversos ensinamentos para as empresas e para os cidadãos adotarem o conceito de economia circular e sustentabilidade.

Portanto, separamos os 10 principais insights trazidos por Ailton Krenak neste encontro para compartilhar com você! Vamos lá?

Insight #1: Desenvolva uma visão holística ou uma cosmovisão 

O conceito de cosmovisão, originado do alemão, Weltanschauung, pode ser definido como um conjunto de valores, crenças, sentimentos e concepções de natureza intuitiva, anteriores à reflexão, a respeito da época ou do mundo em que se vive. 

A palavra trazida por Krenak se refere justamente a essa natureza intuitiva, aos valores que complementam a apresentação do palestrante que dividiu o painel com Ailton, o agrônomo e ecólogo, Antonio Nobre

O cientista da terra antes da fala de Krenak abordou um acréscimo ao Tripé da Sustentabilidade, chamando essa concepção de “Estrela de 5 pontas”, constituída pelos pilares: 

  • Pertencer
  • Ser
  • Evoluir
  • Compreender
  • Conservar. 

Ailton Krenak recomenda assim, para que indivíduos e empresas possam primeiramente pertencer e reitera que a estrela de 5 pontas é um ciclo e implica uma cosmovisão. 

Dessa forma, é possível ter uma perspectiva macro ou holística do cenário econômico, inspirando-se em uma maneira particular de ver o mundo, antes mesmo de o termo economia circular surgir, que ocorreu apenas em 1989.

Para refletir sobre a cosmovisão da sua organização, a visão de mundo da sua empresa, alguns questionamentos são importantes, como: “a qual grupo a empresa pertence?”; “quais os pontos de melhoria que poderia promover no meu negócio para impactar positivamente as pessoas e o ambiente, que estavam aqui antes mesmo de a empresa ter sido fundada?”; “as metas estão alinhadas com um senso humanitário e harmônico?”.

Insight #2: Resgate a essência do seu negócio

Uma das reflexões trazidas por Krenak diz respeito à complexidade e à dependência da tecnologia. Como podemos resgatar a nossa essência e a das empresas neste cenário?

Mais uma vez, a natureza traz um ensinamento, o de atribuir simplicidade e significado, diferente de “parecer uma prótese”, como diria Krenak, no caso de correções que possam ser impregnadas dentro do sistema econômico vigente.

A tecnologia surge assim, como impulsionadora, atuando em prol de um propósito. No caso da eureciclo, por exemplo, a tecnologia cumpre o objetivo da transparência e inclusão social, já que a partir dos certificados de reciclagem no sistema blockchain, as notas fiscais de reciclagem são transformadas em comprovantes da compensação ambiental para as empresas e maior remuneração para as cooperativas e operadores.

Insight #3: Compreenda o valor da natureza 

Somos organismos vivos, assim como as organizações, dotadas de valores e uma cultura que se remodela e se adequa às novas tendências e necessidades da sociedade. 

Um valor que deve estar sempre presente, segundo Ailton Krenak, é o de respeito à natureza. Empresas e indivíduos com esse enfoque vão além do que o racional exige e experienciam o que ele chama de “uma potência de amor incondicional”.

Estar em sintonia com a natureza consiste em sentir com todas as células, pensando o mundo não apenas com a cabeça, mas com a consciência de que tudo é natureza.

Insight #4: Entenda a profundidade do que é descartar

Um dos conceitos-chave da economia circular é o de reinserir o resíduo no ciclo produtivo, de internalizá-lo para um melhor aproveitamento na cadeia.

Krenak traz justamente uma reflexão sobre a ideia do descarte, de que podemos pensar estar descartando algo “lá fora”, distante da realidade em que vivemos. O próprio terreno baldio, para ele, seria uma consequência dessa visão, quando as pessoas veem este local como um lugar apenas para o despejo de materiais. 

Da mesma forma, também podemos relacionar essa reflexão com os lixões, por se localizarem, na maioria das vezes, em locais de saída dos grandes centros urbanos, afastados para não terem visibilidade. 

Por isso, enquanto empresas e cidadãos, nossa responsabilidade em primeiro lugar é de evitar a geração de resíduos, e no caso do resíduo não ter mais utilidade pós-consumo, realizar o descarte apropriado da embalagem ou outro componente para a reciclagem.

Já em relação aos resíduos orgânicos estes devem ser direcionados à compostagem e no caso de rejeitos, encaminhados para aterros sanitários.

Insight #5: Internalize o conceito de reaproveitamento

O que Krenak chama de “operação resgate de nós” no Webinar se trata de modificar a cultura e de compreender que o conceito de “lá fora” não existe.

Na economia linear ainda há a concepção de que existe “o resto”, mas na economia circular não. O modelo propõe, na verdade, um reaproveitamento sistemático de tudo o que é produzido. Antes de descartar, a alternativa do reaproveitamento torna possível um prolongamento do ciclo de vida do produto.

Isso é o que acontece na reciclagem, a partir da utilização desse resíduo que foi descartado nas indústrias de transformação ou recicladores, após a triagem dos materiais pelas cooperativas e operadores de reciclagem.

Insight #6: Aprofunde-se sobre o que é embalagem

Já parou para pensar que tudo tem uma embalagem? Essa palavra geralmente utilizada para descrever o revestimento de alimentos, cosméticos e outros produtos, também pode significar algo além do armazenamento.

As frutas têm sua própria embalagem, de acordo com Ailton Krenak, que são as cascas e nós, seres humanos também, com a pele que nos envolve. 

Indo mais a fundo sobre o que significa uma embalagem, a ideia é que se descarte menos e se reutilize mais, respeitando o ciclo produtivo, assim como respeitamos nosso corpo.

Insight #7: Assuma o consumo consciente como um pilar da sua empresa

O desafio entre vender mais versus estimular hábitos de um consumo mais consciente, certamente é um ponto a ser refletido por todas as empresas.

Ailton Krenak durante o II Fórum Internacional eureciclo comentou sobre essa questão, em relação à preocupação de que a sociedade finalmente consiga reciclar tudo e se exima do primeiro passo, que é justamente dosar o consumismo. 

Entenda algumas perguntas que os consumidores já estão fazendo: “por que estou comprando?”; “de onde vem essa necessidade?”; “eu conheço o impacto desse produto ou serviço?”.

Outras perguntas que a sua empresa pode fazer para aderirem ao consumo consciente seriam: “de onde essa matéria foi extraída?”; “a qual propósito esse produto está servindo?” e “qual o destino que esse produto ou até mesmo a embalagem pós-consumo irá ter?”.

Afinal, como diria Krenak em seu livro “Ideias para adiar o fim do mundo”, precisamos ser antes cidadãos, do que consumidores.

Insight #8: Reflita sobre o futuro que você deseja

“O futuro não é uma linha do tempo cartesiana”. Foi assim que Krenak trouxe o contraponto em relação ao futuro ancestral, aquele que cumpre o movimento cíclico e que não é prospectivo, já que estamos falando da economia circular.

Para o ambientalista, a economia circular e o futuro ancestral podem ser alcançados quando formos capazes de estarmos em equilíbrio com a vida. 

É válido então refletir e consultar o futuro que a empresa estará criando, em conjunto com os seus stakeholders, assumindo o conceito de sustentabilidade, que é o de atender à necessidade do presente sem comprometer os anseios das gerações futuras.

Outra noção importante é o termo ESG, que significa o viés ambiental, social e de governança corporativa, que pode ser admitido pelas empresas. 

A expressão ESG, utilizada amplamente para despertar a atenção de investidores aos aspectos que devem ser considerados em um investimento sustentável, atua também em prol do futuro que o negócio deseja criar. Além da abertura de informações e a mensuração da performance, os próprios riscos que a empresa pode enfrentar ficam mais nítidos para a tomada de decisão.

Insight #9: Conceba o conceito de regeneração

A economia circular repensa a economia linear, como citamos anteriormente, e ainda inclui uma outra palavra importante: a regeneração.

A regeneração consiste na renovação contínua da natureza e segundo Krenak, nossa própria estrutura enquanto seres humanos permite isso, pois estamos recriando a vida como potências constantes, através da renovação de nossas próprias células, por exemplo, ou até dos ritos culturais de uma organização.

Um dos princípios da cultura regenerativa é o de criar saúde, resgatando a resiliência dos próprios sistemas naturais para um futuro mais próspero. Para o líder indígena, Ailton Krenak, a resposta é simples: devemos simplesmente pertencer. Ao invés de querermos expandir domínios, pertencer é o movimento mais sensível que podemos buscar enquanto indivíduos e enquanto empresas.

Insight #10: Evolua e reproduza discursos estimulantes

Para empresas que adotam o viés da sustentabilidade, uma premissa é certa: não há como permanecer em um mesmo estado, há cada vez mais melhorias a serem empregadas e o diagnóstico para que elas sejam realizadas é essencial.

Segundo Krenak, sua esperança poética é de que possamos evoluir enquanto comunidade até não termos mais medo da extinção da espécie humana. Quando ainda temos esse receio recorremos aos exageros, como o consumismo desenfreado, a práticas como o greenwashing, que significa mostrar um apelo comercial para a sustentabilidade sem ter necessariamente cumprido essa ação.

Já quando nos direcionamos ao futuro ancestral e ao conceito de economia circular, estaríamos evoluindo em sinergia com um ciclo que compreende que não haverá fim se os resíduos retornarem, mesmo que com outra aparência ou finalidade.

Em seu livro “Ideias para adiar o fim do mundo”, Krenak faz a provocação de que adiar o fim do mundo é sempre poder contar uma nova história. E por que não compartilhar boas histórias? Estender os diálogos de temas estruturantes como a economia circular, a cultura regenerativa e ESG aos consumidores, fornecedores e a outras empresas, para que o movimento se perpetue.

A eureciclo faz parte desse movimento, em conjunto com mais de 4500 empresas e mais de 130 cooperativas e operadores para aumentar as taxas de reciclagem no Brasil e na América Latina. Além de estimular essa cadeia, visamos uma economia mais circular e que garante a logística reversa das embalagens pós-consumo. Caso tenha alguma dúvida, fale com nossos especialistas

Vamos juntos? 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *