Sustentabilidade no mercado de cosméticos

Entenda como é possível implementar a sustentabilidade no mercado de cosméticos e as vantagens para o seu negócio.

Números não mentem: 44% dos consumidores de produtos naturais e orgânicos dos Estados Unidos vivem de forma sustentável, se preocupando com a sustentabilidade não só na formulação, mas também na embalagem do que compram – de acordo a Mintel.

No Brasil não é diferente. Segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o cenário econômico fez muitas famílias controlarem gastos até com produtos de higiene e beleza. Isso levou pessoas entre 18 e 38 anos a ligar o consumo de produtos tidos como supérfluos à questão da sustentabilidade, movimento chamado de “luxo empático”.

Sim, o mercado de beleza natural e orgânica deve movimentar US$25 bilhões até 2025 segundo a Grand View Research, em uma taxa de crescimento de 9,4%, na qual o Brasil lidera na América do Sul. Há de fato uma mudança na percepção dos consumidores, que se mostram muito mais conscientes sobre o que consumir ou não. E é claro que, neste cenário, tudo conta – dos ingredientes às políticas sustentáveis das marcas.

Além disso, o meio digital é grande impulsionador da sustentabilidade no mercado de cosméticos. Consumidores podem “dar um google” para checar se um apelo comercial de sustentabilidade tem ações verdadeiramente sustentáveis por trás dele. Usar o apelo “verde” sem de fato defendê-lo é infelizmente uma prática comum, conhecida como greenwashing, e é uma verdadeira armadilha para qualquer negócio.

Não foi por acaso que a abertura da décima edição norte-americana do Sustainable Cosmetics Summit, em maio de 2019, foi feita pelo escritor, blogueiro e influenciador Colin Beavan, conhecido como No Impact Man. Famoso por ter compartilhado sua tentativa de gerar o menor impacto ambiental possível por um ano, vivendo com sua família em Nova York, Beavan é o retrato do novo consumidor.

Portanto, o “conceito” de sustentabilidade no setor de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) não é mais tendência, mas sim algo praticamente obrigatório no planejamento de marcas que querem ter sucesso. E não basta levar em consideração apenas o fator econômico, é preciso de fato assumir um papel no desenvolvimento sustentável do planeta, tomando decisões para esse fim, seja criando/reestruturando processos produtivos ou até mesmo escolhendo parceiros que ofereçam serviços para a melhoria do desempenho ambiental.

Sustentabilidade em cosméticos

Cosméticos sustentáveis são aqueles obtidos por um processo limpo e, obviamente, sustentável. Produtos com ingredientes (ou embalagens) naturais, recicláveis ou biodegradáveis são alguns exemplos. Os diferenciais eco-friendly não param por aí: é bem-vindo também ser Cruelty Free (não testar em animais), Paraben Free (não conter Parabeno, ingrediente cancerígeno), além de reciclável. E, hoje, opções com essas características vão de hidratantes, sabonetes, maquiagens e máscaras para o rosto até esmaltes e produtos para cabelo. Confira se sua empresa coloca em prática alguns pontos essenciais para se encaixar nesse mercado mais “verde”.

Atitudes para uma maior sustentabilidade

  1. Embalagens inovadoras e/ou recicláveis: a crescente preocupação com a poluição gerada por materiais plásticos é o pontapé para a indústria de beleza não retardar mais toda e qualquer ação para reduzir o impacto de suas embalagens.
  2. Controle de matérias-primas: acredite, tem gente de olho no impacto ambiental da exploração de matérias-primas que as empresas usam em suas fórmulas.
  3. Rótulos menos agressivos e mais inteligentes: excluir das fórmulas ingredientes químicos agressivos é um ponto a favor de qualquer marca. No caso dos shampoos, por exemplo, excluir o Sulfato é algo diferenciado: o ingrediente produz espuma, e um shampoo com menos espuma (ou sem ela) requer menos água para retirar o produto do cabelo.
  4. Cosméticos naturais e orgânicos: 68% das mulheres americanas compram produtos de beleza naturais e orgânicos, 49% a mais do que em 2008. Os dados da The Benchmarking Company aponta que a maioria das consumidoras faz isso por conta da preocupação com a saúde.
  5. Melhor divulgação: se sua empresa é sustentável, ela precisa contar essa história através do marketing. Isso porque as gerações Millennials e Z têm conquistado crescente influência e pedem para as marcas terem o desenvolvimento sustentável como um valor essencial.

Saber usar as mídias digitais para falar com esse público digital digital, fornecendo informações claras e verdadeiras, é a chave do sucesso.