Entenda como a responsabilidade compartilhada da logística reversa impacta a sua empresa

responsabilidade compartilhada

Você sabia que a sua empresa possui responsabilidade compartilhada por todas as embalagens utilizadas na produção e comercialização dos produtos? Vamos contar neste artigo o porquê e como lidar com isso da melhor forma.

Em 2010 a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) reestruturou a forma como as empresas e os consumidores deveriam lidar com os resíduos aqui no Brasil.

Desde lá, muita coisa mudou e tivemos diversos avanços que culminaram no atual alvoroço da logística reversa.

Para quem não sabe que alvoroço é esse, contamos tudo neste conteúdo. A ideia é que da PNRS surjam soluções que resolvam as problemáticas de resíduos sólidos de forma prática e condizente com a realidade que possuímos no nosso país.

Apenas em 2017, segundo o panorama lançado pela ALBREPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), o Brasil produziu mais de 77 milhões de toneladas de resíduos. Deste total, cerca de 6 milhões de toneladas não foram coletadas.

Ainda assim, o maior desafio é a reciclagem, que atualmente fica na margem de no máximo 5%, ou seja, 70 milhões de toneladas de resíduos seguem em direção aos aterros e lixões.

Entenda o que é a responsabilidade compartilhada da logística reversa e como ela pode gerar valor para a sua empresa

Infelizmente a problemática gerada pelo lixo não é contida por aterros e lixões, ao contrário, a prática implica na poluição do solo e têm ultrapassado os limites adequados para que o meio ambiente e a sociedade existam em equilíbrio.

Em vista disso, a urgência de se colocar em prática a PNRS e a logística reversa tem mobilizado muitos profissionais e empresas que ainda sentem dúvidas quanto a legislação e, principalmente, dúvidas acerca do motivo da responsabilidade das embalagens ser compartilhado entre todos os atores do ciclo de vida do produto.

Vamos esclarecer essas questões e mostrar maneiras eficientes para lidar com esse novo panorama agregando valor na sua entrega profissional.
Afinal, a sustentabilidade corporativa é assunto obrigatório no século XXI.

O que é responsabilidade compartilhada e quem são os responsáveis?

A Lei da PNRS, 12.305/2010, mais especificamente no terceiro artigo, inciso XVII, define que a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos é um princípio que divide as atribuições de mitigação do impacto gerado entre todos os atores do ciclo, ou seja os fabricantes, distribuidores, comerciantes, importadores consumidores e agentes de limpeza.

A ideia é que todos que façam parte do ciclo de vida de um produto sejam responsáveis por ações que irão diminuir seu impacto.

Assim, se você compra, por exemplo, uma garrafinha de água, produz ela, a importa da China ou simplesmente a vende, você tem alguma ação que pode e deve realizar para auxiliar na logística reversa da embalagem deste produto.

Isso quer dizer: uma ação que vai auxiliar para que essa garrafinha seja direcionada para reciclagem e se transforme em matéria prima para um novo produto ao invés de super lotar os lixões e aterros.

Vale ressaltar, que a logística reversa é um processo e instrumento que exige uma explicação maior, por esse motivo, elaboramos este material que irá te auxiliar a compreender a logística reversa no geral, assim como seus pontos específicos.

Quais são os objetivos da responsabilidade compartilhada?

O seu principal objetivo é auxiliar o cumprimento da logística reversa, ao ser um princípio norteador das ações individuais em prol de um bem coletivo.

Nesse sentido, a responsabilidade compartilhada é um princípio estratégico que visa organizar e atribuir ações que em conjunto minimizem os impactos ambientais causados pela crescente produção industrial.

Antes que fiquemos na redundância do apelo ambiental, é importante frisar que essa preocupação não surge estritamente por conta desse viés. Como falamos em outros artigos de sustentabilidade, o cuidado ambiental surge da necessidade de manter a economia e sociedade em funcionamento e equilíbrio.

Ter mente essa visão é o diferencial das empresas que pensam a longo prazo de forma estratégica.

O motivo é simples: o desempenho econômico e profissional está atrelado às mudanças ambientais, pois elas impactam diretamente a dinâmica social, desde a sua alimentação ao seu transporte.

O objetivo final da responsabilidade compartilhada é ser um valor intrínseco ao cidadão brasileiro, por exemplo, no consumidor, o fazendo descartar os resíduos corretamente ou ainda no fabricante, o fazendo compensar ambientalmente todas as embalagens.

Como esse princípio pode gerar valor ao seu empreendimento?

Ao utilizar a responsabilidade compartilhada como princípio norteador da ação, além de estar alinhado com a sustentabilidade, o seu impacto ambiental ou o da sua empresa será repensado para atenuar os impactos negativos.

Atualmente, negócios e pessoas que impactam positivamente ganham a atenção dos consumidores conscientes. Por esse motivo, é essencial que você comunique suas ações sustentáveis baseadas nessa concepção, através de uma boa estratégia de marketing.

Ao tornar a responsabilidade compartilhada parte da sua empresa, você estará agregando valor a identidade da marca e consequentemente ao produto.

Veja como implementar hoje mesmo a responsabilidade compartilhada de forma prática

A responsabilidade compartilhada requer ações diferentes para cada um dos atores responsáveis.

Antes de tudo, somos consumidores e por isso é importante manter as nossas ações individuais alinhadas com a consciência ambiental. Em vista disso, indicamos o blog Reciclagem Sem Escândalo que oferece dicas práticas para o dia a dia, como por exemplo, o descarte correto dos resíduos na coleta normal e na seletiva, ação que tem um impacto enorme na logística reversa.

Por esse motivo, caso sua cidade não tenha o serviço de coleta seletiva, cobre da prefeitura um posicionamento e alternativa.

Já no mundo profissional, você pode levar para sua empresa conhecimentos que contemplem a responsabilidade compartilhada pelas embalagens e resíduos, como os artigos do nosso blog, ou ainda, um projeto de logística reversa que seja fácil de implementar como o selo eureciclo.

A ideia é que você possa disseminar ainda mais informações e atuar de forma inovadora e sustentável crescendo junto com um mundo melhor.

Abaixo deixamos um material para você conferir os principais benefícios e estratégias dessa solução e verificar se faz sentido para o momento da sua empresa.

O selo eureciclo é para minha empresa?