Empreendedorismo: com o que se preocupar ao abrir sua empresa?

Cansou do antigo trabalho? Tem ideias mirabolantes que todos acham geniais e sentiu que agora é o momento de aplicá-las? Quer se tornar o próprio chefe para colocar em prática todo seu conhecimento e força de vontade?

Hoje te contaremos o que causa as primeiras dores de cabeça do empreendedor e o que fazer para evitá-las.

Vamos abordar:

  • Havia não uma, mas várias pedras no caminho
  • Pesquisa de mercado e público alvo
  • Sócios são uma boa?
  • Canais de vendas
  • MEI ou ME?
  • Sustentabilidade
  • Organização, conhecimento e estudo

Havia não uma, mas várias pedras no caminho

Antes de tudo, é necessário compreender que abrir uma empresa é um processo recheado de erros e acertos. Não desistir no primeiro erro é fundamental para quem quer construir seu próprio império no mundo dos negócios.

Acontece que dentro da nossa cultura aprendemos a lidar com o erro como equivalente a algo vergonhoso e que deve ser evitado a todo custo. Isso contraria o desenvolvimento do empreendimento, que tem por base o aprendizado.

Em outras palavras: só errando somos capazes de descobrir como fazer nosso negócio dar certo. Então, para começar esse texto, mesmo que soe contraditório ao título, vamos dizer com o que você não deve se preocupar ao abrir sua empresa: com os erros do processo.

Antes que atirem a primeira pedra, vale ressaltar que com isso não queremos dizer que os erros devem ser ignorados. Ao contrário, eles revelam o processo ou produto que não te levarão onde você quer chegar e por isso precisam ser avaliados e pensados estrategicamente.

Entra em consonância com a definição de empreendedorismo como destruição criativa do Joseph Schumpeter, economista e político. E pode elucidar parte do que vemos ocorrer nos empreendimentos das últimas décadas, já que o empreendedor surge de um processo de criação e destruição.

Significa que da necessidade de superar os velhos meios de produção (destruição), uma pessoa aplica ideias inovadoras que resolvem algum tipo de problema com muito mais eficiência (criação).

Certos de que os erros não devem causar tanto alvoroço e que a essência de empreender é substituir velhos padrões ineficientes por maneiras mais eficientes, podemos prosseguir com os pontos estratégicos que você precisa estar atento ao pensar seu modelo de negócio e dar os primeiros passos.

Pesquisa de mercado e público alvo

Pode ser que você seja bom em fazer pães de fermentação natural ou ainda que o hobby da produção da sua própria cerveja artesanal tenha dado tão certo que você gostaria de escalar e começar seu próprio negócio.

Os caminhos são diversos, mas todos possuem algo em comum: oferecer um produto que tenha valor para as pessoas, que facilite, traga felicidade ou as represente.

Antes de pensar no lucro que você ganharia com o seu produto, pense se ele agregaria valor, ou não, para os seus clientes.

Nessa etapa é essencial a realização de uma pesquisa de mercado. Afinal você já tem alguma ideia sobre o que gostaria de comercializar (cookies, por exemplo), imagina quem poderia se interessar (pessoas do seu bairro). Falta agora alinhar suas expectativas quanto a realidade e verificar se as pessoas realmente estão procurando por isso.

A pesquisa de mercado, a depender do que você gostaria de saber sobre o seu negócio (fornecedor, público alvo, praça, valores e etc) sondará os seguintes pontos:

  • O quanto estão dispostos a pagar.
  • Qual o perfil do consumidor para o seu produto.
  • Quais canais de vendas eles preferem comprar (website, telefone, loja física e etc).
  • Fornecedores e valores.
  • E principalmente, verificar se há uma demanda, ou caso seja uma inovação, verificar se as pessoas realmente estariam interessadas em pagar pelo produto ou serviço.

 

É desenvolvido então um questionário contendo perguntas chaves para cada um dos pontos acima com o objetivo de desenvolver um mapa descritivo e qualitativo do seu próprio negócio.

Através dessas informações você terá noções sobre novas tendências, o preço a ser cobrado, o perfil exato do seu público alvo e como criar campanhas e estratégias para atingi-los.

Lembrando que a pesquisa de mercado, assim como o público alvo, podem sofrer mudanças conforme for a evolução do que você está oferecendo ou buscando alcançar.

Sócios são uma boa?

O início de um empreendimento é sempre muito conturbado, seja com as inseguranças pessoais, burocracias ou vários processos a serem implementados mesmo que sejamos só um.

Nessas horas a necessidade de dividir o fardo pode ser enorme, assim como nosso medo de entrar em uma cilada. Afinal, é o início de algo onde queremos manter nossa identidade e pode ser meio complicado ceder a tomada de decisão (e de lucros) com uma pessoa.

No entanto, ter alguém para compartilhar esse momento de perrengues, custos iniciais, agregando em estratégias, com uma visão diferente da sua, pode mudar todo o cenário, dar mais consistência para a parte estratégica e calma para as situações difíceis.

Encontrar o sócio certo é uma tarefa complexa que pode levar tempo.É necessário paciência e muita clareza sobre os pontos práticos do que o seu sócio precisará para complementar suas atividades.

Dito isso, não basta escolher aquele amigo querido que está desempregado, é preciso que ele tenha o necessário para realmente te auxiliar nessa empreitada e somar.

O que é esse necessário? Depende muito, pode ser que você seja ótimo com atendimento ao cliente, reuniões pessoais, mas seja péssimo com a parte burocrática ou financeira. Ter alguém que complemente suas habilidades é um dos guias.

Outro ponto de fundamental é uma relação construída e baseada em confiança. Escolha alguém que você sentirá que pode compartilhar sem medo.

Canais de vendas

Agora que você já tem um mapa para se guiar em relação ao seu público alvo, já viu se faz sentido o seu produto ou serviço e já conseguiu até um parceiro (ou não), pode decidir o canal ou canais de vendas para que o seus potenciais clientes entrem em contato com o seu produto.

Exemplos de canais de vendas:

  • Website para e-commerce
  • Loja física
  • Food truck
  • Venda por telefone
  • Mídias sociais (Instagram, Facebook e outros)
  • Blog

Analise as opções segundo o perfil do seu consumidor e segundo a pesquisa de mercado realizada. Assim ficará muito mais fácil escolher em quais canais investir.

MEI ou ME?

Uma das partes mais burocráticas é a escolha sobre o tipo de validação jurídica do empreendimento. Então muitas dúvidas surgem: é melhor montar uma empresa ou tocar o negócio de forma autônoma e informal? Se for para montar uma empresa, é melhor eu começar como Microempreendedor Individual (MEI) ou como Microempresa(MI)?

A diferença entre esses dois últimos está no limite de faturamento anual, nas facilidades e isenções de taxas e no tipo de atividades que podem ser validadas como MEI ou como ME.

MEI

Como MEI, o limite de faturamento anual é de R$81mil, não pode ter sócio, pode ter um único funcionário,há única coisa a pagar é o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), uma contribuição mensal que garante seus direitos, são eles:

  • CNPJ;
  • emissão da nota fiscal;
  • baixo custo dos impostos em valores fixos através do DAS;
  • apoio técnico do SEBRAE
  • direitos previdenciários (aposentadoria por idade, auxílio doença e outros).
ME

Já para Microeempresas, o pagamento dos impostos ocorre baseado na receita e podem ocorrer de três formas: Simples Nacional (regime de pagamento de impostos simplificado), Simples Real (tributação baseada no PIS e COFINS) ou Lucro Presumido (tributação sobre uma taxa de lucro pré-fixada pela lei).

Os benefícios são:

  • Limite de faturamento anual é de R$900mil;
  • pode existir sócios;
  • equipe de funcionários;
  • CNPJ;
  • emissão de nota fiscal;
  • direitos previdenciários.

 

A escolha dependerá muito do ponto em que você começará seu empreendimento. Mesmo que você comece como MEI, se houver crescimento do negócio, naturalmente será necessário migrar para ME. Ter em mente os benefícios e tributos de cada um é importante para uma decisão assertiva segundo os objetivos a serem alcançados.

Manter essência e identidade

Diante da adequação que fazemos para atender um público ou para entrar em harmonia com o sócio. Aos poucos se torna um desafio manter a identidade e essência do que se queria manter inicialmente com o seu produto.

No entanto, é importante encarar isso como uma oportunidade, de decidir manter o que você acredita e encontrar a proporção ideal entre a adaptação da sua marca no mercado.

Cada vez mais os consumidores passam a escolher um determinado produto, não só pela sua utilidade, mas por toda a identidade e representação que ele traz.

É quase um exercício filosófico, mas compreender essa dinâmica pode trazer clareza nas futuras decisões.

Sustentabilidade

Há um crescente número de empresas preocupadas com o impacto ambiental e social que elas deixam no planeta. Seja impacto através das milhares de embalagens produzidas ou ainda na inexistência de atividades que deem algum tipo de benefício social.

Essa preocupação vem em grande parte por conta do crescimento do consumo consciente no Brasil.

Compreender o conceito de sustentabilidade e aplicá-lo no negócio pode parecer complexo mas não é. A través de ações simples você pode reduzir custos enquanto reduz o impacto ambiental no planeta.

A ideia é que com algumas medidas os processos se tornem mais eficientes e com isso a pegada ambiental diminua.

No artigo abaixo contamos 5 projetos de sustentabilidade que fazem total diferença.

5 projetos de sustentabilidade para colocar em prática na sua empresa.

Organização e estudo

A jornada apenas começou e são muitos os conhecimentos disponíveis para otimizar as estratégias de crescimento da sua possível empresa.

Estar antenado será algo imprescindível para conseguir aprender, não apenas com os seus erros, como falamos no início do texto, mas também com o erro de milhares de pessoas que já trilharam esse percurso.

Organize e busque sempre informações de qualidade para ter como bússola nessa aventura que se inicia.