9 práticas de sustentabilidade para se tornar um expositor consciente

Confira 9 práticas de sustentabilidade para impactar positivamente o meio ambiente e de quebra engajar seus consumidores no propósito da sua empresa.

Ser um expositor consciente ultrapassa a questão ambiental. É através da exposição, que o público irá se identificar, ou não, com o produto. Talvez seja a primeira impressão de muitas pessoas a respeito da sua marca, e impactar logo de cara, engajando os consumidores, se torna um grande desafio.

É natural que ao ter clicado neste artigo, creio, um dos valores buscados é o do cuidado com o meio ambiente. Talvez seja algo intrínseco, no momento, à identidade da sua marca. Ou talvez seja uma preocupação que surgiu posteriormente, por conta da visibilidade cada vez maior que a sustentabilidade tem proporcionado às empresas.

Nestes dois cenários, o como fazer, ainda pode ser um mistério. Afinal, como implementar de forma tranquila práticas conscientes durante a estruturação de um estande e programação da sua marca em um evento? Separamos 9 práticas de sustentabilidade para facilitar esse processo e ajudar no seu sucesso.

1 – Se organize com antecedência

Escala de pessoas durante a feira, distribuição de brindes e amostras, estrutura, cenário, e não para por aí. Correria resume bem o que é uma feira de exposição. Pouco tempo para executar todas as ideias mirabolantes e atrair ao máximo o público alvo. Nesse sentido, se organizar com antecedência é primordial para realizar escolhas conscientes e conseguir poupar dor de cabeça e recursos (humanos e financeiros).

Para não pirar, você pode recorrer a alguns artifícios, como as super planilhas prontas para planejamento de eventos, ou empresas de transporte expresso para quando se esquecer de algo muito importante e já estiver na feira/evento, grupos no Facebook de trabalhos artesanais, para pedidos de decoração ou outras necessidades específicas, assim você terá algo exatamente do jeito que procura e muitas vezes mais barato e sustentável do que em grandes comércios.

Como gastos não são tudo, e sabemos o quanto é importante a imagem que você quer passar para o público, é nessa etapa que você pode realizar campanhas nas suas redes sociais explicando e preparando seu público para uma exposição super consciente ambientalmente, com foco no #MenosLixo. Assim ninguém levará um susto quando você disser que optou por entregar suas amostras a granel.

2 – Substitua flyers por … ?

É muito importante que possam levar as informações que você buscou transmitir durante uma visita no seu estande. Mais ainda, que isso seja realizado de forma rápida, afinal cada segundo conta para uma conversão. E até o momento, uma das práticas mais utilizadas eram os flyers.

Atire a primeira pedra quem nunca chegou em casa sem saber o que fazer com um flyer aceito mais por educação do que por intenção, resultado: lixo. Isso passa a incomodar tanto o dia a dia de uma pessoa consciente, que recusar acaba sendo uma estratégia adotada. Se os seus consumidores são conscientes ambientalmente, você vai querer oferecer opções de compartilhamento sem o flyer.

Uma dica incrível para substituição, são os QR Codes, código de barras bidimensional que direciona o acesso a uma página da internet. Desta forma você pode direcionar a pessoa a um flyer virtual, ao site da empresa, blogpost ou página de cadastro. Para que a leitura ocorra, será necessário que o seu público tenha smartphone com o aplicativo de leitura de QR Code e que você disponibilize o QR Code em algum lugar do estande (na tela de celular, notebook por exemplo). Veja como gerar um QR Code aqui.

Ou ainda se preferir, pode utilizar um cartaz com todas as informações sobre sua marca e pedir para os visitantes tirarem uma foto. Uma campanha de marketing em cima dessa ação poderia ser pedir para eles divulgarem as práticas #MenosLixo do seu estande.
Mais do que uma medida ambientalmente consciente, essa alternativa é uma aposta certeira para alcançar clientes conscientes ambientalmente e engajar aqueles que ainda não o são. De quebra essa alternativa é extremamente viável financeiramente, com custo zero.

3 – Utilize cartão de visita virtual

Seguindo a mesma linha de raciocínio dos flyers, apostar na redução ou não emissão de papel ou outros materiais nesse sentido pode ser uma ótima estratégia. Mas como sabemos que sem cartão de visita não dá pra ficar, que tal escolher opções virtuais?

Atualmente existem vários aplicativos gratuitos de cartão de visita virtual, um deles é o Kardshare. Ali você pode dispor de informações e seu cartão de visita fica disponível para qualquer pessoa. Para isto basta o visitante procurar pelo seu nome e empresa, e voilá!, seus dados dispostos virtualmente.

Se essa opção não parecer tão intuitiva para você ou para seus visitantes, você pode utilizar ainda um QR Code específico para seu cartão de visita, seguindo as práticas de sustentabilidade do tópico anterior. Mais uma vez, uma solução que reduz os gastos financeiros durante a exposição, quem disse que ser sustentável custa caro?

4 – Engaje seus visitantes a trazerem utensílios reutilizáveis

O planejamento inicial e campanhas no pré-feira, servem justamente para alertar e engajar seu público-alvo na diminuição de resíduos e práticas sustentáveis que eles podem executar durante o evento.

Promova essa ação entre seus visitantes para que levem seu próprio copo, guardanapo reutilizável, saquinhos de pano e etc. Desta forma, você mostra o seu propósito e faz muitas outras pessoas levantarem a mesma bandeira.

5 – Opte por materiais recicláveis

Se você tentou dar uma chance, não se adaptou muito bem com as práticas de sustentabilidade anteriores, e não vai ter jeito para segurar a emissão de cartões e/ou flyers: opte por materiais reciclados/recicláveis. A grande problemática de se utilizar dessa estratégia em flyers e cartões de visita, é que o lixo resultante não estará sob controle da sua marca e sim dos visitantes, o que pode implicar na situação descrita na primeira dica deste artigo: o visitante aceita o flyer e cartão de visita mas sem ter real intenção e acaba jogando no lixo ao chegar em casa.

Vale ressaltar que o uso de materiais recicláveis/reciclados não estão restritos aos cartões e flyers, mas podem se estender a todos objetos e materiais indispensáveis utilizados na exposição, como por exemplo, totens e embalagens de amostras.

6 – Repensando as embalagens das amostras

Falando em embalagens de amostras, é bem comum que os expositores utilizem materiais como guardanapos, copinhos e demais embalagens para oferecer amostras. Nesse ponto, é importante promover a redução dos resíduos gerados. Ter a certeza que eles podem ser reciclados/recicláveis é um grande passo em direção à sustentabilidade, mas não o único.

Algumas práticas nesse sentido, são: substituição dos copinhos de plástico por copinhos de papel ou reutilizáveis; a substituição dos guardanapos de papel por guardanapos de pano com o seu logo; utilizar embalagens como brindes, como por exemplo, saquinhos feito de pano reutilizáveis contendo suas amostras, canecas de acrílico para bebidas e etc; para cosméticos a questão se torna um pouco mais complexa, mas separamos o conteúdo perfeito para tornar suas embalagens de amostras mais sustentáveis, confira aqui.

É desta forma que você fomenta a reciclagem dos materiais e pode mostrar o engajamento para seus consumidores.

7 – Escolha brindes funcionais

Depois dos flyers, os brindes disfuncionais podem ser um dos materiais mais descartados nas lixeira após uma feira/evento. É importante se perguntar: meu público usaria esse brinde?

Entender se será útil ou não para as pessoas, é o primeiro passo para saber se a confecção do artigo fará sentido e sucesso, resultando no que você realmente deseja: promover sua marca no pós-evento.

Alguns exemplos de brindes disfuncionais são: canetas de má qualidade, que perdem a serventia em uma semana; imãs de geladeira, nem sempre útil para todos os tipos de consumidores; objetos que não levam em consideração o público alvo, no geral, são aqueles a se evitar.

Exemplos de brindes funcionais podem variar muito a depender do seu público, algumas ideias são: ecobags; botons que passem uma ideia legal de impacto ambiental ou social; amostras do seu produto; canecas.

Levantar algumas ideias e fazer uma pesquisa com os consumidores, pode ser uma excelente saída para oferecer algo, com o seu logo, que perdure por muito tempo.

8 – Os cuidados com os resíduos durante e pós feira

Para chegar nessa fase com tranquilidade, é importante seguir as práticas de sustentabilidade anteriores, assim garantimos menos resíduos no final da feira. 🙂

É bem provável que os responsáveis, pelo evento, disponibilizem lixeiras e uma coleta adequada dos resíduos. Caso isso não seja realizado, ou você tenha dúvidas sobre como será feito, entre em contato com a equipe responsável e levante essa bandeira.

Para além do que cabe à organização, você pode atuar de forma consciente indicando aos visitantes, os locais adequados para se desfazerem dos resíduos. E dentro dos próprios resíduos gerados pela sua empresa, dar o direcionamento correto após a feira. Para isso, separe entre os secos/recicláveis, dos orgânicos e dos que não podem ser reciclados de fato.

Após a feira envie os recicláveis para cooperativas ou destine para coleta seletiva da sua cidade. Os orgânicos você pode utilizar para fazer compostagem. E o restante não tem jeito, já ouviu a expressão que não existe jogar fora? Pois é, o jeito será inserir nos aterros e lixões superlotados da sua cidade. :/

9 – Mostre ao público e engage!

Acho legal pensarmos que todos esses esforços surgem de um propósito genuíno: causar impacto socioambiental positivo. Partindo deste ponto, fica fácil utilizarmos esse ideal para engajar ainda mais pessoas e espalhar não apenas um produto, mas uma ideia.

Desta forma, todas as ações #MenosLixo podem ser mostradas ao seu público, principalmente antes do evento, conscientizando-o sobre a importância desse impacto e ampliando a área de abrangência da sua marca para um nicho de pessoas conscientes ambientalmente e que fazem escolhas de consumo baseadas nesse princípio.

Esperamos mesmo, que as práticas de sustentabilidade facilitem sua vida durante os eventos e feiras e que com elas você possa espalhar, de forma factível, a consciência ambiental por aí.

Veja também: Guia Completo para Embalagens Sustentáveis