Sustentabilidade como vantagem competitiva: inovação para sua empresa

SUSTENTABILIDADE COMO VANTAGEM COMPETITIVA

Entenda a sustentabilidade como vantagem competitiva e passe a aplicar hoje mesmo conceitos preciosos que vão te colocar à frente em seu negócio. Quer ver como? Confira o artigo abaixo.
A sustentabilidade ganhou a atenção da sociedade e de autoridades públicas desde a década de 70. De lá para cá, seu conceito foi incorporado na estrutura de projetos corporativos assim como na filosofia e estrutura do empreendedorismo moderno.

Estar atento aos impactos que um pequeno negócio ou uma grande empresa geram tem sido hábito de muitos consumidores. Eles formam o nicho de consumidores conscientes e estão movimentando um mercado que tem crescido.

Visando abranger esse grupo e alinhar os valores da empresa com os do século XXI, os profissionais passaram a aplicar a sustentabilidade como estratégia de venda.

Nesse artigo iremos contar a você os principais benefícios da sustentabilidade e como você pode utilizá-la como vantagem competitiva através das nossas dicas.

Entenda a sustentabilidade como vantagem competitiva e inove em sua empresa

A sustentabilidade tem guiado soluções criativas para as diversas problemáticas atuais. Acontece que diferente do que normalmente é abordado sobre a sustentabilidade, ela não é um conceito que visa defender estritamente as questões de aspectos ambientais.

Na verdade, seu conceito é mais amplo e abrange o equilíbrio da economia, sociedade e meio ambiente. Esse é o seu tripé e nenhum dos três pontos é mais importante que o outro.

Dito isso, a sustentabilidade passou a ganhar espaço também como tática importante no mundo corporativo. Veja abaixo o porque.

Economia de recursos

A economia de recursos é com toda a certeza uma das ações mais utilizadas para a diminuição do custo de um produto. Essa é uma das maiores vantagens que a sustentabilidade pode trazer ao seu negócio ou empresa.

A pergunta chave é: o que deve ser poupado e o que deve ser mantido para atender as necessidades do seu consumidor? Relacionamos alguns exemplos e formas de economizar recursos que você pode começar a implementar agora mesmo. Dá uma olhada.

Repense o que é dispensável

Um exemplo é a Dona Maria, ela vende marmitas e quer garantir o melhor atendimento para sua clientela. Por esse motivo, ela implementou a utilização de três tipos de embalagens: uma de plástico que contém o alimento; outra de papel para identificar a marmita; uma de plástico para colocar todas as marmitas para a entrega; talheres de plástico; saquinhos para talheres de plástico; adesivos com a marca sobre cada marmita.

Nesse exemplo o produto era entregue de forma a oferecer o maior conforto possível para o cliente ao mesmo tempo que ignora a quantidade de resíduos gerada.

  • Diminuir a utilização de recursos é possível ao retirar os adesivos e utilizar o logo em carimbo, assim como conscientizar os clientes sobre o uso de talheres reutilizáveis.

Essa é uma dica específica que serve para repensar de forma geral aqueles recursos que você utiliza achando que são indispensáveis para o cliente quando na verdade o foco dele é na qualidade do produto e atendimento.

Água e Energia

  • Aproveite a água da chuva em utilizações não potáveis, como lavagem dos espaços coletivos e banheiros.
  • Adicione válvulas de duplo acionamento nas descargas da empresa.
    Para a energia, garanta a utilização de lâmpadas de led que consomem menos energia que as fluorescentes.
  • Para áreas de passagem, instale sensores de movimentos para acionar as lâmpadas.
  • Realize a manutenção dos equipamentos para que eles trabalhem com a melhor eficiência possível e evitem desperdícios de energia.
  • Faça a troca para equipamentos mais modernos e com menor consumo sempre que possível.

Economize suprimentos

  • Garanta a qualidade ao invés da quantidade.
  • Reutilize os alimentos residuais para outras receitas e inove.
  • Monitore o estoque de suprimentos constantemente para que não haja desperdícios por passarem da validade.

Eficiência nos processos

Para que haja um equilíbrio entre os três pilares da sustentabilidade é necessário que a estrutura dos processos da sua empresa seja construída com base nesse objetivo.

Para isso:

  • Realize uma organização de todos os processos (produção, logística, marketing, vendas). É o alinhamento das áreas da empresa que tornará mais fluido e eficiente o desenvolvimento da empresa.
  • Lance mão de ferramentas de gestão para obter análise sistêmica dos processos e uma visão holística do que acontece internamente. Atualmente existem diversos softwares que oferecem esse serviço, além de pessoas especializadas.
  • A eficiência é uma pauta da sustentabilidade por tornar otimizado o nível de utilização de recursos, sejam humanos ou físicos.

Abrangendo o nicho de consumidores conscientes

Colocou na prática as ações de sustentabilidade na sua empresa para gerar impacto socioambiental positivo? Chegou a hora de comunicar isso aos consumidores.

Para abranger o nicho de consumidores conscientes é importante que você realize estratégias de comunicação da sustentabilidade. Esta é uma forma de garantir que tanto os seus clientes saibam todo o valor que você está entregando para o meio em que vivemos como para que os consumidores ainda não clientes possam se sensibilizar com a causa e se identificar com a sua marca.

Ter um plano de marketing consolidado e voltado a mostrar o melhor da sua empresa é o primeiro passo. Se o seu maior impacto ambiental for as embalagens, garanta o cumprimento da logística reversa de embalagens e conte ao seu público-alvo essa ação.

A sustentabilidade é um diferencial e pode te colocar à frente como marca ao agregar valor ao seu produto. Como mostramos no artigo de hoje, explorar suas possibilidades nem sempre precisa ser algo caro ou complexo de implementar, ações simples como economia de água e energia podem fazer toda a diferença para a sua empresa e para o Planeta.

No artigo abaixo mostramos como você pode encarar de outra forma a problemática das embalagens na sua empresa através da sustentabilidade.

Sustentabilidade corporativa e o problema das embalagens