Compensação ambiental não é só plantar árvores

Hoje iremos te contar tudo sobre compensação ambiental de embalagens: o que é, como funciona e suas principais vantagens e desafios. Quer saber como isso pode ajudar a sua empresa? Confira o artigo!

Quando falamos de compensação ambiental muitas ideias podem vir à mente. No entanto, a majoritária continua sendo: plantar árvores!

Plantar árvores exemplifica muito bem o tipo de compensação ambiental conhecida como créditos de carbono. Famosos na mídia e escolas por conta do Protocolo de Kyoto, os créditos de carbono passaram a ser referência no cotidiano para o que se entende como compensação ambiental.

Podemos compreender a compensação ambiental como um processo que compensa um impacto ambiental negativo através de ações diretas ou indiretas. Por exemplo, para compensar o impacto negativo da perda de biodiversidade no processo de urbanização, podem ser criadas Unidades de Conservação.

São várias as possibilidade de aplicação de compensação ambiental, afinal é um conceito amplo que pode se adaptar a vários segmentos, principalmente no da reciclagem, o qual abordaremos aqui.

Compensação ambiental de embalagens: o conceito que veio revolucionar o mercado de reciclagem

A compensação ambiental de embalagens é o processo de compensar os impactos negativos causados pelas embalagens de uma empresa através da reciclagem direta (das próprias embalagens) ou indireta (de resíduos gerais).

Por que esse mecanismo é importante para a sua empresa

Compensar ambientalmente é uma ação movida não apenas por motivações de fundo ambiental, mas também por uma necessidade de adequação à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e a seu principal instrumento, a Logística Reversa (LR).

Em linhas gerais, a PNRS é a legislação que visa regular e organizar a quantidade de resíduos gerados pela indústria, assim como o descarte correto dos mesmos, para que haja maiores índices de reciclagem e a diminuição dos números de aterros e lixões no Brasil.

Já a Logística Reversa é o retorno dos resíduos pós consumo, ou seja, o que sobra dos produtos utilizados e pode ser reciclado e retornado para a cadeia produtiva.

Passo a passo de como funciona

  1. A empresa apresenta a quantidade, o peso e o material das embalagens comercializadas no ano retrospectivo. Ex.: 20 mil unidades, de 10g de plástico cada em 2017.
  2. Uma certificadora de compensação ambiental faz a análise do passivo gerado. No caso do exemplo acima seriam 200kg de plástico a serem compensados no ano de 2017.
  3. As cooperativas homologadas pela certificadora realizam a reciclagem de 200kg de plástico (não necessariamente as mesmas embalagens) e emitem uma Nota Fiscal que pode ser conferida na Receita Federal.
  4. A certificadora de compensação ambiental reúne os documentos comprobatórios e desenvolvem o relatório de impacto ambiental que é enviado para a empresa contratante e pode ser apresentado para proteção jurídica em relação à PNRS.

Benefícios da compensação ambiental de embalagens para o seu negócio

Os grandes diferenciais da compensação ambiental de embalagens são:

  • Comprovação de todo o processo: a compensação ambiental de embalagens permite a apresentação de documentos comprobatórios de todo o processo, mostrando o adequado atendimento à PNRS
  • Facilidade em cumprir a legislação: o cumprimento ocorre de forma prática já que a certificadora e as cooperativas homologadas realizam todo o trabalho.
  • Não há custos com manutenção de estruturas físicas: Diferente de outros mecanismos de Logística Reversa de embalagens, a compensação não requer que haja infraestrutura na empresa contratante ou qualquer custo com manutenção. Isso porque a infraestrutura reside nas cooperativas de reciclagem.

Impacto da compensação ambiental no planeta

O grande diferencial desse tipo de mecanismo é possibilitar uma maior escala de aplicação através de uma solução que visa ser sistêmica, moldando a indústria de reciclagem através do pagamento do serviço ambiental. A longo prazo esse tipo de investimento na Logística Reversa possibilitará o aumento das taxas de reciclagem.

Além disso, podemos verificar que, através da compensação, pode haver a reciclagem de todo o passivo ambiental de uma empresa. Isso quer dizer que todas as embalagens comercializadas podem ter seu peso e material equivalente reciclados, neutralizando assim seu impacto.

Compensação ambiental de embalagens: a experiência que deu certo

A compensação ambiental de embalagens é um mecanismo que foi implementado desde a década de 70 no mercado europeu de reciclagem.

O sucesso de aplicação se deu por conta de diversos fatores. Podemos pensar que ambientalmente o sucesso se dá pois, considerando-se a Terra como um sistema fechado, ao reciclar a mesma quantidade de resíduos que a descartada, obtemos uma neutralização do impacto.

Economicamente falando, a compensação ambiental teve aceitação por conta da responsabilidade compartilhada, que visa a divisão dos custos da gestão de resíduos entre o governo, os consumidores e as empresas.

E também pelas ações de educação ambiental desenvolvidas por lá. Afinal educar o consumidor é fundamental para o retorno das embalagens através da coleta seletiva.

E, por fim, há a percepção da reciclagem como um nicho lucrativo para o mercado, já que gera valor através de resíduos que iriam para o lixo.

Impacto social da compensação ambiental

Uma das questões que torna a compensação ambiental de embalagens no Brasil algo diferente da realizada na Europa é a inserção de um fundo social de peso por aqui.

Atualmente a reciclagem conta com diversas cooperativas, cooperados e catadores.  Entender essa perspectiva social e realizar ações para desenvolvimento e estruturação deles é um dos objetivos principais da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A Recifavela e o Tião do Santos exemplificam muito bem essa realidade periférica e inspiram para que novas ações existam no sentido de garantir o reconhecimento do serviço ambiental por eles prestados.

A compensação ambiental de embalagens nesse sentido oferece a remuneração direta a esses atores garantindo a eles autonomia econômica para que possam investir em infraestrutura adequada para seu desenvolvimento.

A compensação ambiental das embalagens é somente um dos caminhos

É importante frisar que a compensação ambiental de reciclagem pode, mas não precisa, vir sozinha. São diversas as ações que auxiliam no sucesso dessa ferramenta no Brasil.

Podemos citar a educação ambiental, que consegue conscientizar os consumidores para que descartem os recicláveis na coleta seletiva. Ou ainda os Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) que permitem que as próprias embalagens retornem direto para a marca responsável.

A atuação de estratégias conjuntas para lidar com as problemáticas ambientais são sempre muito bem-vindas. Compreender quais são mais pertinentes para serem adotadas no momento da sua empresa é uma análise que exige um pouco de energia através de leituras e considerações, mas que podem auxiliar e muito na sua imagem e atitudes sustentáveis pelo planeta.

Confira as melhores estratégias para Compensação Ambiental