empresas conscientes

Os princípios das empresas conscientes e 4 dicas para se tornar uma

As empresas conscientes estão surgindo com cada vez mais frequência no Brasil. Isso está acontecendo devido a um movimento que se iniciou há pouco tempo e está trazendo à tona a questão da importância do consumo consciente no nosso país. Afinal, o consumidor mudou seu comportamento, no sentido de estar cada vez mais preocupado com os valores e o propósito das empresas que estão por trás dos produtos e serviços que estão consumindo.

Isso é ainda mais forte quando essa consciência  está relacionada com um retorno positivo para a sociedade e com o meio ambiente.

Estamos em tempos em que o mundo está mudando constantemente. Hoje, há uma preocupação sobre o que os negócios estão fazendo para contribuir com o bem estar do planeta e das comunidades em que estão inseridos.

Por isso, a tendência é que os negócios mostrem de forma mais aberta como estão lidando com essa questão. Saiba que isso é uma das coisas que motivou o surgimento das empresas conscientes!

E você? Já pensou em se inspirar nessas empresas conscientes e sustentáveis e transformar o seu negócio também? Quer saber um pouco mais sobre o assunto? Então, acompanhe esse post que preparamos exclusivamente para você saber mais!

Quem são as empresas conscientes?

Pois bem, antes de saber como transformar o seu negócio em uma empresa consciente, é preciso entender o seu conceito de forma completa.

Saiba que o grande diferencial dessas empresas é que elas possuem a consciência de que precisam contribuir com a sociedade. No caso, estamos falando de algo que vai muito além de simplesmente gerar lucro, renda e novos empregos.

O fato é que as atuais crises ambientais e econômicas provocaram um movimento em que muitos gestores, empreendedores e grandes lideranças das empresas estão repensando o propósito dos seus negócios, bem como a sua maneira de trabalho e o seu papel no mundo.

Afinal, a sociedade já está saturada de velhos hábitos que não estão mais contribuindo com a preservação do planeta, nem trazendo qualidade de vida para as pessoas.

Por isso, surgiu essa necessidade dos negócios repensarem a sua atuação, mostrando que estão cada vez mais acompanhando as tendências atuais que envolvem essa questão da consciência.

Portanto, podemos dizer que o capitalismo consciente surgiu, e continua cada vez mais forte, devido a essa empatia com as demandas atuais da sociedade e do mundo, que envolvem questões sociais e ambientais.

É bom lembrar que tudo isso surgiu com uma boa dose de modernidade e a consciência de que não se deve mais buscar o lucro a qualquer preço.

Quais os princípios das empresas conscientes?

Pois bem, agora que você já sabe quem são as empresas conscientes, vamos listar o que é preciso ter para que o seu negócio consiga se tornar uma delas.

A realidade é que não há muito segredo, basta seguir os princípios do capitalismo consciente, que ela poderá se enquadrar nesse grupo. Certo?

Seguem abaixo, os 4 princípios das empresas conscientes:

1. Liderança consciente

Saiba que todo tipo de mudança e iniciativa depende de uma peça que é fundamental para qualquer negócio: as pessoas.

Pois bem, ninguém melhor para puxar esse movimento do que os líderes que estão atuando no dia a dia da empresa.

Afinal, são eles que são a inspiração para todos e são responsáveis por guiá-la em relação aos seus princípios, estratégias, valores e a própria visão do negócio.

O que diferencia esse tipo de liderança das demais é que elas buscam o que é melhor para o negócio e também para todas as partes envolvidas, ou seja, os stakeholders, que são os clientes, parceiros, os próprios colaboradores, a sociedade, dentre outros.

Ou seja, é possível afirmar que esses gestores possuem uma liderança que de fato é consciente.

2. Propósito além do lucro

Já falamos isso anteriormente, mas não custa nada reforçar: Para que uma empresa seja considerada consciente, ela deverá seguir o princípio que prega o propósito além do lucro.

Sabemos que ganhar dinheiro é muito bom e ajuda muito o negócio a crescer. Porém, a mentalidade da empresa deverá prezar por deixar um legado, resolver realmente as dores do seu cliente e, assim, contribuir para que a sociedade seja cada dia melhor.

Obviamente que a empresa jamais deverá abdicar do seu lucro de cada dia, mas é preciso ter o pensamento de que ele será uma boa consequência de um bom trabalho, que tem como objetivo ajudar o mundo a ser uma organização muito melhor conforme o tempo vai passando.

3. Impacto consciente

Outro princípio importante das empresas conscientes é que o seu impacto também deverá ser algo marcante!

Quando falamos em impacto, estamos nos referindo a todas as partes que fazem parte do negócio, ou seja, é preciso que haja uma relação ganha-ganha dela com os colaboradores, acionistas, clientes, parceiros e a sociedade no geral.

Por isso, é importante que o negócio atue de forma que de alguma maneira consiga gerar valor para essas partes que comentamos acima.

Agindo dessa maneira, sem dúvida alguma, um impacto consciente e positivo será causada na da sociedade como um todo.

4. Cultura consciente

Por fim, o último pilar de uma empresa consciente se refere à cultura do negócio. Saiba que não adianta nada ter a proposta de causar um impacto positivo, se a cultura da empresa não respirar dessa forma.

Até porque, é ela que dirá como os colaboradores deverão se comportar perante a sociedade quando estão atuando em nome da empresa.

Por isso, é preciso trabalhar para que esse pilar seja o mais sólido possível. A boa notícia é que ele depende muito dos outros 3 pilares, ou seja, se eles estiverem muito bem consolidados, esse quarto será formado de maneira natural.

Junto a isso, reforçamos que é importante que a empresa pregue valores que levem a transparência e a ética como uma de suas regras básicas.

Aliás, ter uma cultura consciente é tão benéfico para o negócio que se cria a possibilidade de usá-la como base para qualquer ação que a empresa precisará fazer, principalmente no momento de contratação de novos colaboradores e também para fechar parcerias com outros negócios.

Como se tornar uma empresa consciente?

Agora que você já está mais habituado com o conceito do que é uma empresa consciente, bem como o que ela precisa ter para ser considerada uma elas, vamos fornecer algumas dicas para que possa inserir o seu negócio nesse grupo, tudo bem?

Afinal, há espaço para que todos adotem essa postura, independente se a empresa já existe há muito tempo ou se está começando com essa ideologia em mente.

Seguem as dicas:

Estude o tema

A nossa primeira dica é algo que consideramos algo básico para imprimir qualquer estratégia em um negócio: estudar e buscar conhecimento sobre o tema.

Afinal, por mais que o nosso post tenha muitas informações, é preciso entrar um pouco mais a fundo e entender como surgiu o capitalismo consciente, as suas boas práticas e os seus conceitos nos mínimos detalhes.

Feito isso, é possível partir para a parte prática com muito mais confiança e base para conseguir um plano de ação com mais consistência e com maiores chances de dar certo.

Além disso, será possível entender melhor quais serão os seus benefícios, bem como as coisas que precisarão ser abdicadas para concluir esse processo com eficiência.

Busque por casos de sucesso

Saiba que já existe uma porção de empresas que já são consideradas conscientes, tanto brasileiras, quanto estrangeiras, de diversos tamanhos, desde pequenas empresas até grandes corporações.

Buscar por esses exemplos ajudará muito nesse processo, pois será possível entender quais foram os desafios enfrentados, bem como as dificuldades que surgiram no meio desse caminho.

Você já deve saber que não há nada melhor do que aprender com quem já vivenciou aquilo para conseguir ter muito mais eficiência nessa jornada, não é mesmo?

Crie um planejamento

Saiba que não basta querer, é preciso colocar a mão na massa e agir para que esse plano de se tornar uma empresa consciente dê certo.

Porém, se não houver um planejamento de como essa mudança será feita, essa estratégia estará fadada ao fracasso.

Afinal, quando se planeja qualquer tipo de ação, é possível entender melhor quanto tempo será necessário para implementá-las, bem como saber quais os impactos que poderão ser causados na organização e, assim, já trabalhar em ações para amenizá-los ou mitigá-los.

Saiba que planejar é saber olhar para o futuro e traçar um caminho consistente para alcançá-lo com muito mais pé no chão.

Envolva os colaboradores

Por fim, nossa última dica está ligada a um dos maiores ativos de qualquer organização: as pessoas.

O fato é que ninguém trabalha sozinho e é por isso que as empresas contam com o apoio de colaboradores para fazer a sua operação funcionar.

Então, nada mais justo e também nada mais inteligente do que envolver os funcionários nesse plano, pois serão eles que darão força para implementar essa mudança.

Além disso, há um grande benefício de trazê-los cada vez mais para dentro do negócio, pois se sentirão responsáveis por essa mudança e, assim, aumentará cada vez mais o sentimento de pertencimento e responsabilidade perante à empresa e à sociedade.

E então? Entendeu melhor sobre como funcionam as empresas conscientes no Brasil? Então, o que acha de saber mais sobre Como vencer o desafio de empreender sem largar o emprego.

Artigo produzido pela equipe do Saia do Lugar!