Campanha do Greenpeace alertando para o impacto de as embalagens não serem recicladas.

Por que as marcas devem se preocupar com as embalagens dos seus produtos?

A próxima geração de marcas responsáveis já está nas prateleiras dos supermercados. Elas se preocupam com o impacto que as suas embalagens deixam no mundo.

Nos últimos anos temos visto o crescimento da quantidade de marcas preocupadas com uma presença sustentável no mundo: qual a origem das matérias primas? Quem são os seus fornecedores e quão longe eles estão? Qual a qualidade de vida da população vivendo perto das fábricas? Mas embalagens dos produtos é um dos assuntos que mais recentemente entrou na pauta das empresas preocupadas com a marca que elas deixam no planeta

E por que esse assunto é tão importante não apenas para as marcas como para todos os consumidores?

Porque, especificamente no Brasil, produzimos quase tanto lixo como um país desenvolvido: são 1,2 kg por dia – perto da estatística de países como França, Inglaterra e Suécia. Apenas 3% do lixo gerado no Brasil é reciclado. A diferença é que nos países Europeus há mais de duas décadas, existem leis em vigor para incentivar a reciclagem e o reaproveitamento dos materiais. E o Brasil está chegando lá. Em 2010 uma lei parecida com as européias, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), entrou em vigor.

Mas o que diz a PNRS sobre as embalagens?

Com a nova lei, o governo brasileiro espera reduzir a quantidade de lixo levada para aterros, lixões ou simplesmente descartada no meio ambiente. Para isso, conta com a colaboração dos fabricantes de bens de consumo e os consumidores.

O que as marcas de bens de consumo devem fazer?

Para se adequarem à legislação e diminuirem o impacto das embalagens no meio ambiente, as empresas precisam fazer a própria logística reversa das embalagens, ou seja, pedir ao consumidor para trazer as embalagens do produto a um ponto de coleta e depois entregar à cadeia de reciclagem. Esse é um esforço bastante grande porque requer que o consumidor traga as embalagens a pontos de coleta, além de a marca ter que providenciar o transporte dos materiais.

Outra solução é que a empresa contribua para a sustentabilidade financeira e o desenvolvimento da cadeia de reciclagem que já a oferecida pelo selo eureciclo.

O casos de sucesso do selo eureciclo:

Selo eureciclo
Selo eureciclo colocado nas embalagens das marcas engajadas

A boa notícia é que no Brasil diversos fabricantes estão se empenhando. É o caso da Greenpeople, LivUp, +Mu, BioWash e Algar Agro e outras 45 marcas. Todas elas estampam em suas embalagens o selo eureciclo. Com esse comprometimento, as marcas desempenha um papel fundamental na preservação do meio ambiente e na preocupação com o desenvolvimento sustentável do planeta, passando a destinar recursos financeiros para a indústria de reciclagem no país.

O processo funciona da seguinte forma: as marcas informam quantas toneladas de plástico, vidro, papel ou metais geraram com a venda dos produtos e o selo eureciclo calcula o passivo ambiental equivalente. Com base no valor, as marcas pagam a quantia para o selo eureciclo que por sua vez destina o valor a cooperativas de reciclagem que comprovem que estão operando formalmente e reciclando materiais equivalentes aos das embalagens. Atualmente, a legislação brasileira demanda que 22% do material gerado e exposto ao meio ambiente seja reciclado. Através do selo eureciclo, as empresas podem contribuir o equivalente a até 100% de todo material colocado no mercado.

A mudança social e ambiental já começou.

Graças ao engajamento das empresas, o selo eureciclo conseguiu aumentar em cerca de 35% a renda de trabalhadores na cadeia de reciclagem, garantir a formalização de dezendas de recicladores e rastrear milhares de toneladas de resíduos sendo oficialmente reciclados.
“Queremos que a conexão entre fabricantes e microempresas de reciclagem formalize toda a cadeia, gerando impacto social positivo. Dessa forma, poderemos criar uma consciência coletiva em todos os elos desse meio”, explica Luciana Oliveira, CEO da eureciclo.

“Esse sistema de compensação é amplamente utilizado na Europa para a reciclagem e também nos chamados créditos de carbono. Para nós é muito gratificante sermos umas das primeiras empresas no Brasil a ter o selo eureciclo nas embalagens dos produtos. Isso mostra que estamos no caminho certo e fazendo nossa parte ao contribuir com o meio ambiente e para um planeta mais sustentável”, comenta Victor Santos, CEO da LivUp.

E como o consumidor por ajudar?

Primeiro, priorizando marcas engajadas e comprometidas com a reciclagem. Antes de abrir o próximo pacote de biscoitos ou a próxima bebida do lanche, olhe a embalagem mais uma vez. Pode ser que a marca do seu produto favorito ganhe ainda mais pontos com você. Afinal, ela pode ser uma das primeiras marcas no Brasil a se comprometer com a reciclagem das embalagens que coloca no mercado.

E, claro, no seu dia-a-dia, separando as embalagens recicláveis do lixo comum, assim elas serão destinadas à reciclagem naqueles municípios onde houver coleta seletiva ou o trabalho de cooperativas de reciclagem. Se precisar de uma ajudinha, basta seguir as cores do sorrizinho no selo eureciclo: vermelho para plástico, verde para vidro, azul para papel e amarelo pra metal.

(imagem do topo: Campanha do Greenpeace alertando para o impacto de as embalagens não serem recicladas)